Vivenciando a Arteterapia nas Empresas


O período auge da pandemia trouxe para as organizações a oportunidade de rever sua atenção em relação à saúde mental e emocional de seus colaboradores, além da integração entre o “eu pessoal” e o “eu profissional” que abriu espaço para questões emocionais que não eram bem-vindas nem aceitas no mundo corporativo.


Tendo em mãos recursos não muito efetivos, nos vimos obrigados a encontrar soluções que trouxesse para os funcionários, uma visão mais ampla de si e de suas emoções. Com objetivo de promover saúde integral, nos deparamos com a necessidade de não só apoiar, mas também auxiliar no desenvolvimento de habilidades emocionais, competências valorizadas mundialmente.


Nossas rodas de conversas são planejadas com temas direcionados para proporcionar o aumento do autoconhecimento através de recursos da Arteterapia. Antes de cada encontro encaminhamos um email com uma breve reflexão e conscientização sobre o tema, quando também é feito o convite para participação.


No dia do evento papéis coloridos, canetinha, lápis de cor, massinha, giz de cera entre outros são distribuídos ao longo da mesa redonda, o que causa estranheza em um ambiente excessivamente racional e com escassez de criatividade. A preocupação em relação ao desempenho artístico surge com a necessidade de se reconectar com a liberdade, a espontaneidade e autonomia no momento da criação.


Mãos estimuladas a elaborar símbolos livres de julgamento e expectativas propiciam o desbloqueio criativo e promovem a consciência de conteúdos psíquicos até então não identificados nem elaborados. Ou seja, a arte torna visível o invisível através das imagens produzidas pelos colaboradores.


Alguns dos temas abordados até o momento: A gratidão e seus benefícios para saúde emocional, Escuta ativa e a conexão com suas emoções, Equilíbrio da polaridade feminina e masculina nas organizações, Construção da identidade feminina e Adaptabilidade e criatividade em tempos de mudanças.


A experiência com a arteterapia nas organizações vem se revelando um caminho de autoconsciência que fortalece a relação do indivíduo com si mesmo que se espelha nas relações interpessoais com mais empatia, intimidade, conexão e respeito. Reduzindo os conflitos e contribuindo na construção de um ambiente emocionalmente saudável.