• Patrícia Napolitano

O Querer e o Criar

Tem gente que é criativa. É conhecida por pensar fora da caixinha, ter as manhas de fazer associações incríveis e tirar do chapéu as possibilidades mais inusitadas.


Mas você acha que essa magia toda aconteceria de fato, se essa mesma pessoa estivesse com a cabeça em outro assunto, o coração ocupado com aflições demandantes de energia e atenção, além de ausência total de interesse pelo assunto?


Não é à toa que, quando estamos com nossa máquina criativa a todo vapor, nossos olhos brilham, o corpo pulsa, a voz se empolga e rola até uma atmosfera meio afrodisíaca. O tesão do processo criativo vem desse querer. Há uma prontidão para a criação. Quem está criando, quer fecundar, e faz, portanto, a dança do acasalamento em seu interior, sem pudor.


Esse cortejo com a obra a ser materializada mexe com nosso centro de vontade. Eu diria que Vontade é mais motor para criatividade do que a própria amplitude do repertório de quem está criando. Querer achar a forma, ansiar, com todas as células do seu corpo, pelo encontro com a criação.

Essa atitude desbanca qualquer gênio atolado em seu próprio escuro da desmotivação. O querer, de verdade, acende todas as luzes.


E é aí que as prateleiras das possibilidades, bem visíveis aos olhos esbugalhados de desejo de sucesso, se revelam abundantes e disponíveis.

Quando alguém acende o sol dentro de si, com convicção e decreta seu encontro com a obra criativa inquestionável, parece que as ideias vêm, como insetos em busca da lâmpada.


Essa determinação também irradia de um líder para sua equipe e boas ideias ganham mais portas de entrada quando podem chegar aos projetos através de qualquer um ou muitos dos membros de um time.





É também, por isso, que quando um objetivo de alguma tarefa não está claro em seu propósito, a gente não vê sentido em investir energia vital e, então, nada parece fluir. Assim, se você quiser que a criatividade role solta no seu grupo de trabalho, sua missão é picar o povo com o bichinho da ``Quer- Ação´´. A galera tem que querer o encontro com a obra, tanto quanto uma criança quer encontrar ovinhos de páscoa ou que chegue logo o dia de Natal.


Que sua Vontade Criativa possa ser sempre uma enorme e luminosa estrela guia, abrindo caminhos para você e para o mundo.


Patrícia Napolitano

Comunicóloga, especializada em Administração de Empresas, Facilitadora de Expressão de Potenciais com Psicossíntese e professora da Escola Humana de Vida e Negócios.

patinapolitano@gmail.com

@patricia.criatividade