• Gabriela Evangelista

De onde vem a coragem?



Esta qualidade do caráter humano, material rico para as histórias de filmes e seus bravos heróis, tem uma origem interessante.

Alguns estudiosos da etimologia apontam que coragem vem do Latim “Coraticum”, por sua vez, derivado de “cor”, “cordis”, “coração”. Nesta linha de pensamento encontramos uma lição importante: o coração era considerado, na antiguidade, a “casa” que abrigava tanto a coragem quanto a inteligência.

Numa outra linha de raciocínio, coragem deriva do francês “courage” que também remetia, num princípio, á “morada dos sentimentos”. Com o passar do tempo, a palavra começou a ser utilizada como sinônimo de força interior, estado de espírito.

Fazer conexão entre a coragem e a inteligência ou entre a coragem e sentimentos ou ainda, entre a coragem e força interior nunca fez tanto sentido como nesta época.


Segundo levantamentos do IBGE, em torno de 60% das empresas fecham suas portas antes de completarem os seus 5 primeiros anos de vida. Se analisamos as pessoas afetadas por essa porcentagem, estamos falando de valores exponencialmente maiores de sonhos frustrados, de energias desperdiçadas, de ansiedades vivenciadas... Decididamente, não é fácil navegar por mares Voláteis, Incertos, Complexos e Ambíguos. Como conduzir a nossa empresa com segurança?


Ninguém tem uma resposta certa – até porque, não acreditamos em respostas certas – mas do que sim temos certeza absoluta é de que, qualquer que seja a resposta adotada, em todas elas estará presente a coragem.


Agora já aprendemos nos cursos da vida que coragem não é falta de medo e já lemos em livros e artigos que coragem é agir mesmo quando o medo quer tomar conta de nós. Mas para mim, faz muito mais sentido voltar à etimologia e aos usos antigos da palavra e aceitar a coragem como uma força inteligente que vem de dentro de nós, da nossa “casa” interior. Precisamente porque ela vem de dentro, do que temos de mais autêntico e verdadeiro, é que ela, a coragem, é capaz de trazer um sentimento de certeza, mesmo num mundo tão incerto.


Coragem é clareza. Se conseguirmos acionar o nosso verdadeiro propósito, a coragem surge, aparece. O novo líder sabe dessa urgência e adota estratégias práticas para encontrar o seu propósito e colocá-lo no mundo. Porque propósito sem ação, vira sonho. Mas propósito com clareza, vira coragem.