• Iraci Saviani

Nós e a incerteza viva

Atualizado: Abr 1

Independente de tudo que nos cerca em tantas criações do ser humano, a primeira percepção e constatação que podemos ter é de que somos Natureza e como ela, temos que aceitar suas leis, regras, ritmos, tempo... do nascer e do morrer.


Certeza da vida e da morte na incerteza do como, onde, quando, porque?!


E assim sendo, vamos aceitando que há algo mais forte no universo, além do nosso poder pessoal. Aceitando que além do destino, temos o poder de decisão, mas que também existe a consequência que deriva de cada ação. Aceitando que como seres humanos somos um todo a ser cuidado, entre desconfortos e confortos, seja na razão ou na emoção.


Vamos aprendendo a lidar com um diálogo interno pessoal e percebendo a incerteza que reside na diferença que o outro ser humano nos apresenta. Aprendendo a aceitar e conviver com o que não é, com o que não acontece segundo o nosso desejo e percebendo onde essa incerteza quer nos levar, o que ela quer nos mostrar. Aprendendo a tirar proveito das crises, porque delas brotam transformações.


Crises pessoal e mundial, em tempos atuais! Momento de Incertezas Vivas!


Excelente oportunidade para expressar a fragilidade que está em mim, no outro e como cada um digere de diferentes formas, fazendo uso de suas potencialidades.


Momento onde se revela na ciência a fragilidade desse processo criativo, com pesquisas que partem da incerteza para alcançar um resultado mais seguro.



Na arte, a expressividade se faz presente seja lá como for. Porque ela é a subjetividade, ela pode ser a expressão viva das incertezas e das diferenças, onde as emoções podem ser exteriorizadas e processadas em sentimentos que podem trazer o melhor do ser humano!


Todo esse fluxo criativo nos leva a princípios éticos em qualquer grupo, que terá como desafio lidar com as diferenças, com as incertezas e gestar, gerenciar conflitos, caminhando para um acordo, em movimento, transformação, saindo da inércia do “morrido ou matado” para o equilíbrio vivo e criativo.


Transitamos assim pela Incerteza Criativa, de forma a sentir o desconforto, em busca, não de uma paz passiva, mas de uma Paz Ativa, na gestão e no gerenciamento do conflito.

Como gerir um grupo numa empresa, desta forma?


Aqui na Escola Humana, trilhamos um caminho que nos leva a viver de forma prática, valores humanos que nos ensinam como lidar com o que é desigual, com o que é instável, com momentos inseguros, onde a incerteza impera, com as emoções traduzidas em sentimentos trabalhados que geram ambientes mais seguros emocionalmente.


Ambiente onde todos podem se desenvolver como seres humanos criativos que somos, sendo inteiros e expressando cada um sua verdade, e onde podem ir em busca de propósitos cotidianos e reafirmar seu sentido de vida.


Que valores humanos são esses? Identidade, história, pertencimento, familiaridade, estilo pessoal, cultura... tudo que faz crescer o que há de humano em nossos sentimentos, pensamentos e ações.


Como nutrir esses valores?


Como trazer segurança na incerteza criativa?

Vivendo o ser criador que há em cada um de nós, numa rede segura que pode se abrir para a incerteza viva experienciada, conhecida, digerida, processada, reconhecida e transformada!


Iraci Saviani

Professora da Escola Humana de Vida e Negócios, Mestre em Artes Visuais, Arteterapeuta, professora em Atelier Terapêutico, História da Arte e Criatividade no curso de Especialização em Arteterapia no Instituto Sedes Sapientiae.

Consultora, pesquisadora e palestrante em Criatividade - desenvolvimento de projetos e do processo criativo para grupos privados, empresas e órgãos públicos.


Instagram: @iraci_saviani

https://www.facebook.com/iraci.saviani/